28 de junho de 2022

5 de leitura

Mundo Tech

Front-End e Back-End: o que é e quais as diferenças

por Mariana Rebello

Front-end e back-end são, basicamente, os dois lados do desenvolvimento web. Os desenvolvedores tanto de front-end e back-end se completam em todos os momentos, como por exemplo, colocar um site no ar. Por isso é indispensável para qualquer pessoa que pensa em ingressar na carreira de programador saber o papel que cada profissional dessas duas áreas desempenha.

Para você iniciar seus estudos e ficar mais preparado para o mercado vamos destrinchar e explicar esses dois conceitos! 

O que é front-end e back-end?

O front-end é a parte do software que cuida do visual de um site e da interação do usuário com ele. Tudo que é design, usabilidade e experiência do usuário acontece no front-end. É chamado de “client side” porque se relaciona diretamente com o consumidor final. 

Links, botões, scroll de um site, gráficos, entre outros, são exemplos de ferramentas que um desenvolvedor pode criar para a experiência do site ficar mais atrativa e eficiente. E as linguagens principais utilizadas para realizar essas funções são o HTML, CSS e JavaScript. Você pode conferir a diferença entre elas no nosso artigo do Blog!

Quais os tipos de desenvolvedor?

Existem três tipos de desenvolvedores gerais: Front-end, Back-end e Full Stack. 

O desenvolvedor Front-end irá trabalhar com a parte visual e interação com usuário. É ele que desenvolve as telas de aplicação do site projetadas pelo designer. 

O desenvolvedor Back-end irá programar as regras do sistema, mexer com os dados da empresa através de códigos e ficará responsável por toda a parte “não vista” do website. 

Já o desenvolvedor Full Stack pode tanto atuar com o Front-end como Back-end, por isso sua formação é mais complexa. Ele compreende todas as tecnologias envolvidas no  desenvolvimento de um projeto e pode operar em qualquer parte. Por terem uma visão mais ampla, geralmente são contratados para vagas de líder, supervisor, coordenador, entre outros.

O que faz um desenvolvedor Front-end?

O desenvolvedor front-end constrói a interface do website, sendo o responsável por transformar o layout estático, feito por um design, em algo dinâmico, interativo, funcional e intuitivo. Para isso, o profissional precisa saber utilizar algumas linguagens específicas de programação, como as citadas aqui em cima.

É importante ter noções básicas de design para facilitar a rotina da programação e melhorar ainda mais a experiência do usuário. O ideal é que as duas áreas andem juntas para desenvolver o site e deixar o mais personalizado possível. Se você for um profissional com um olhar mais geral sobre o campo de atuação e conhecimento, mais chance terá de conseguir vagas no mercado.

O que faz um desenvolvedor Back-end?

Um desenvolvedor back-end trabalha através de códigos com o funcionamento de um website. A tecnologia utilizada fica visível apenas para o programador, o usuário final não é impactado diretamente e visualmente por esses códigos.

No dia-a-dia um desenvolvedor terá que fazer a manutenção de aplicações já feitas por outros programadores, criar bibliotecas, desenvolver APIs, estruturar dados, manusear frameworks, escrever novos códigos para interagir com o banco de dados, entre muitas outras funções, dependendo do cargo qual o profissional foi contratado.

Afinal, como saber o meu perfil?

Primeiramente, você deve se perguntar qual das carreiras descritas aqui em cima você se identifica. Por exemplo: gosta de estar mais perto do usuário final e pensar nas interações que ele terá no site? Ou sua praia, na verdade, é ficar por trás de tudo programando códigos para o servidor e para a base de dados sem contato tanto com o produto final? E ainda, será que suas skills não te levam a uma interseção tanto do Front-end quanto do Back-end?

Um programador Front-end deve estar sempre atento às novas atualizações e ser curioso para buscar novos conhecimentos e novas soluções para os problemas da empresa. 

O programador Back-end precisa entender a lógica por trás dos programas e dos códigos e seu  perfil precisa ser analítico e atento aos detalhes. E claro, muita resiliência pois é este profissional que lida com resolução diária de bugs. 

Um programador Full Stack, por exemplo, irá dedicar mais horas da sua rotina aos aprendizados, uma vez que precisa dominar mais linguagens de programação. Por isso seu perfil precisa ser mais centrado, ao mesmo tempo que as soft skills são muito importantes. É importante saber gestão de tempo, de crises e de equipes e ter uma visão mais aprofundada sobre os negócios da empresa.

 

Você também pode gostar